Dica Bauhaus - documentário: “Eames: The Architect and the Painter”


ray eames sentada em sua cadeira

Em um mundo onde a produção em massa é super valorizada, há espaço para a nossa individualidade? Será que conseguimos mesmo ser especiais em meio a tantos “do mesmo”? Se todos os produtos são iguais, as mesmas roupas, as mesmas casas, os mesmos celulares.. qual é o real valor dessas coisas? E o nosso?


charles eames sentado em sua cadeira

Questões como essas circulam em “Eames: The Architect and the Painter”, um documentário empolgante e inspirador de Jason Cohn e Bill Jersey. Nesse documentário é retratado a relação pessoal e profissional de Charles e Ray Eames, um casal cuja abordagem ao design de produtos e a apresentação de informações foi tão influente quanto a de Steve Jobs. Charles Eames foi formado como arquiteto, Ray Eames, sua segunda esposa, era artista e, juntos, dirigiam um estúdio de design em Venice, Califórnia, que era um centro de criatividade.

cadeiras de design eames
As cadeiras de design marcante de Eames

O talento artístico e o olhar criativo de Ray como pintora em comunhão com a inteligência objetiva de James como arquiteto, foi a junção de talentos e perspectivas perfeitas, que andam lado a lado com os ideias da escola de arte Bauhaus, nossa maior inspiração. Até hoje seus nomes ainda são mais comumente associados às cadeiras vendidas por uma empresa norte-americana chamada “Herman Miller”, mas o documentário argumenta que essa mistura quase angelical entre arte e design, prático e estético, deixou vestígios em quase todos os aspectos da vida contemporânea.


Não obstante, o grande lema de Ray era “the best for the least for the most”, onde a tradução literal é “o melhor para o mínimo para o máximo”, e o que ela queria expressar com isso em suas criações? Ray e Charles acreditavam que em meio a modernidade, com a produção em massa, o design criativo e o artesanato artístico poderiam estar presentes de diversas formas, sendo o melhor para o mínimo (a individualidade) para o máximo (a dinâmica de produção em massa), transformando o seu exemplar de uma criação comum em algo único, frisando que “as coisas que você compra, se forem as coisas certas, fazem parte do que faz de você o que você é.”

casa casal eames
Casa de Ray e Charles Eames, na Califórnia

Desse modo, a casa que Charles e Ray construíram em Pacific Palisades, com suas formas simples e quadradas, é um brilhante exemplo das obras perpetuadas pelo casamento de suas genialidades, com luz abundante e ornamentos caprichosos era um templo doméstico para um novo tipo de modernismo, menos austero, que juntava um estilo funcional e prático com cores vivas e formas agradáveis. Ressignificando o modernismo e o aspecto urbano e criando “o melhor para o mínimo”! E o mais gratificante sobre este brilhante documentário “Eames” é que mostra, em detalhes maravilhosos, como o trabalho que eles faziam era uma extensão deles mesmos e como suas personalidades distintas se fundem em uma força única e multiforme. O documentário também é lindamente movimentado e rico: cheio de objetos, informações, histórias e pessoas. Móveis, utensílios domésticos, filmes, exposições – às vezes é difícil acompanhar tudo o que os Eames faziam.

ray e chares eames mexendo ajustando sua maquete

Com toda certeza um documentário convencional não conseguiria descrever uma trajetória tão bela de forma tão sublime, mas este chega perto, servindo tanto para coleta de fatos da biografia quanto à necessidade, especialmente importante em assuntos como esses, de transmitir uma sensação de beleza e do significado real do que eles fizeram. Assim como o casal representado neste documentário, essa obra é com certeza a mistura perfeita de informação e beleza, funcionalidade e estética, algo que vale a pena conferir!


 

Eames: The Architect and the Painter (2011)

Produzido e dirigido por Jason Cohn e Bill Jersey; escrito pelo Sr. Cohn; narrado por James Franco; editado por Don Bernier; música de Michael Bacon; lançado por recursos de primeira execução. Em Manhattan, no IFC Center, 323 Avenue of the Americas, na Third Street, Greenwich Village. Duração: 1 hora e 24 minutos. Documentário não classificado.

 


Posts Relacionados

Ver tudo